sábado, 16 de janeiro de 2016

Água, dona da vida!

Olá gente boa!

Todos nós sabemos e concordamos que sem água ninguém sobrevive. E que às vezes água demais também pode arrasar bairros e até cidades como temos visto por aí.




               Aqui, onde construimos nossa casa, dependemos quase exclusivamente de água da chuva (e Graças a Deus temos o suficiente!). Este fato nos ensinou uma grande lição. O respeito pelos ciclos da natureza e a valorosa sabedoria incutida no verbo "economizar". Aqui economizamos água de muitas formas: reaproveitando água da pia e da máquina de lavar, usando menos detergente e ensaboantes, redefinindo a ideia do que é sujeira, etc. Na verdade, este respeito e esta sabedoria não vêm em setores separados da nossa vida. É um conceito de viver que vem em todos os sentidos. Evoluimos espiritualmente e o lado material da existência deve seguir os mesmos passos. Não há como ser de outro jeito. Eu entendo que exigimos de nossos líderes governistas o melhor que eles possam dar, mas negligenciamos a nossa responsabilidade com a natureza, nosso corpo, nosso convívio. Muito do que passamos é responsabilidade nossa! A natureza devolve e reage na mesma vibração que enviamos nossas atitudes para ela e para o meio. Não podemos pensar que estaremos impunes para sempre.

             Só para vocês terem uma ideia, começou a chover na quinta a tarde (dia 14/01/16) e choveu bastante ontem e hoje (sexta e sábado) e nossa caixa de 5 mil litros (essa que fica no alto) que já estava quase vazia transbordou e tivemos que redirecionar a água para nossa cisterna de 13 mil litros.


 

 
















                Quero dizer com isso que podemos além de armazenar água suficiente para um bom tempo, ainda podemos ajudar a minimizar os danos causados pelo crescimento urbano não planejado de maneira correta. Cobrimos os caminhos naturais que as águas costumam usar pelas vias com nossas calçadas e ruas mal planejadas feitas de material pouquíssimo permeável fazendo com que águas precisem abrir caminhos diferentes e perigosos para nós e nossas casas.

                 Devemos nos conscientizar de nossa responsabilidade com o meio ambiente e fazermos a nossa parte o melhor possível. Aqui nós tentamos não cobrir completamente o chão sempre que possível. 


 Usamos moldes feitos com ripas de madeira para formar estes pisos feitos com pedra número zero, areia e cimento. Ao redor estão vendo pedras zero na figura 1 e grama na figura 2.

Aquele ali no cantinho querendo aparecer é o Zé, nosso segurança.


Vamos compartilhar a ideia. Divulgar e agir, principalmente pois também depende de nós o nosso conforto e proteção.

Namastê. _/\_



segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Bora trabalhar!!!

Feliz 2015 a todos!!!

                    
               Obrigada por curtirem minha página e acompanharem meu trabalho voluntário. É pelo simples gosto de ajudar!

              Hoje comecei meu projeto para aumentar minha cozinha. Vou fotografar e depois fazer uma postagem de todo processo. Vai ser trabalhoso porque temos que construir a partir do que já está feito e, é claro, com TME (Tijolo Modular Ecológico).


 Abaixo, fotos do local onde será feita a obra:







Que todos tenham um 2015 repleto de realizações!
Josele Pereira.

domingo, 23 de novembro de 2014

A Grande Seca em São Paulo

Boa tarde, gente boa!

               Hoje venho falar de um assunto preocupante para todos: A falta de água em São Paulo. Sim! Para todos nós. Porque se esta situação se estender por muito mais tempo atingirá a todos de alguma forma, direta ou indiretamente. Para começar a falar sobre este assunto abordarei o tema "coleta de águas da chuva". 
            Aqui, onde construimos nossa casa, dependemos quase exclusivamente de água da chuva (e Graças a Deus temos o suficiente!). Este fato nos ensinou uma grande lição. O respeito pelos ciclos da natureza e a valorosa sabedoria incutida no verbo "economizar". Aqui economizamos água de muitas formas: reaproveitando água da pia e da máquina de lavar, usando menos detergente e ensaboantes, redefinindo a ideia do que é sujeira, etc. Na verdade, este respeito e esta sabedoria não vêm em setores separados da nossa vida. É um conceito de viver que vem em todos os sentidos. Evoluimos espiritualmente e o lado material da existência deve seguir os mesmos passos. Não há como ser de outro jeito. Eu entendo que exigimos de nossos líderes governistas o melhor que eles possam dar, mas negligenciamos a nossa responsabilidade com a natureza, nosso corpo, nosso convívio. Muito do que passamos é responsabilidade nossa! A natureza devolve e reage na mesma vibração que enviamos nossas atitudes para ela e para o meio. Não podemos pensar que estaremos impunes para sempre. Bem... você pode até dizer que não crê em nada disso. Eu digo: vai estudar!

               A ciência nos fornece explicações e experimentos "prá lá" de convincentes. Muita coisa é antiga e foi abafada pela ignorância e o preconceito. Vejam este vídeo que coloquei aqui como um exemplo e mesmo que não saibam inglês as imagens falam por si: A forma do Som.

Nestas imagens você vê as formas produzidas pelo som das respectivas vogais. Interessante!

                 Onde eu quero chegar falando da seca em São Paulo? Quero chegar num ponto onde todos nós começamos a nos afastar do Criador e esquecemos de voltar nosso coração para Ele e agradecer. Agradecer por tudo! Porque até as coisas aparentemente ruins nos fazem aprender, crescer e nos tornam melhores, se assim permitirmos. Vamos unir nossos corações e vozes a partir de hoje e A-G-R-A-D-E-C-E-R  pela chuva que vai cair sobre São Paulo em breve!!! Quem pedir com a fé que já recebeu, receberá.

E não nos esqueçamos da responsabilidade de aprender com os erros! Economia!





Namastê.